O que não é nosso não nos pertence. É o que aprende o lavrador ao desafiar os anciãos da aldeia que alertavam: aquelas terras misteriosas eram habitadas por deuses. Lá reinava o silêncio. Lá ninguém ousava entrar… Mas o homem, ganancioso, quis as terras para si. Plantar, colher, morar. Ficar rico com a colheita. Planos que o homem fez até surgirem os gigantes. Dez incríveis gigantes que, de modo surpreendente e sem dizer uma palavra, impuseram seus limites.