Três textos curtos, dirigidos ao público jovem, para provar que não é chato ler peça de teatro e, mais do que isso, que representar é muito divertido. Se feito com verdade, é uma das experiências mais radicais. São um convite à encenação. Com temas muito próximos ao cotidiano jovem, os autores falam da natureza, das relações entre os gêneros, das descobertas adolescentes, também elas cheias de magia.